COMPARTILHE

“O amor ao próximo edifica uma sociedade”, começou por dizer Denise Foi,  uma mulher que sempre estende a mão para ajudar quem precisa.

Denise falava sobre uma iniciativa da Associação dos Moradores do Bairro de Malhampswene, no passado sábado, arredores cidade da Matola. Um grupo de moradores daquele bairro decidiu criar uma associação sem fins lucrativos que, sobrevive de quotas mensais que visam proteger os interesses comuns da comunidade como: segurança, acção social, entre outros.

“Amor ao próximo por um Malhampswene melhor”, foi o lema que sustentou uma Associação que numa fase inicial do projecto, preparou um almoço na Escola Primária de Malhampswene e  juntou 20  famílias carenciadas para distribuir arroz, mantas e camas desdobráveis.

“Criamos este projecto para ajudar várias pessoas do bairro Malhampswene. Este é pontapé de saída. Com a ajuda da Denise Foi juntamos 30 famílias. Pensamos que estamos num bom caminho, olhando para os objectivos que traçamos”, comentou visivelmente satisfeito, Victor Zimba,  coordenador da acção social e género da Associação dos Moradores do Bairro de Malhampswene.

Questionado sobre os desafios da associação no bairro, Zimba queixou-se da falta de iluminação pública, vias de acesso em avançado de degradação, falta de uma esquadra e graves restrições de fornecimento de água. São desafios que no seu entender, apoquentam os moradores daquela unidade residencial e que precisa do empenho de todos para a sua resolução.

Faz um esforço para  caminhar, a coluna vergou-se ao cansaço, contudo, o semblante ainda que repleto de rugas, deixa transparecer alegria. “Estou muito feliz pela oferta. Este gesto faz pensar que é possível um Moçambique mais solidário”, comentou vovô Marta, de 72 anos de idade, moradora de bairro Malhampswene, que beneficiou de um almoço, 10 kgs de arroz, matas e uma cama desdobrável.

DEIXE UMA RESPOSTA