Moçambique pretende reestruturação de parte da dívida pública

Moçambique pretende reestruturação de parte da dívida pública

0
COMPARTILHE

O governo de Moçambique vai solicitar a abertura de negociações com os credores para a reestruturação de parte da sua dívida pública, anunciou quarta-feira em Maputo o primeiro-ministro.

Carlos Agostinho do Rosário, citado pela agência noticiosa AIM, garantiu que Moçambique pretende honrar os seus compromissos “a fim de recuperar a confiança juntos dos investidores.”

Três empresas públicas de Moçambique – Empresa Moçambicana de Atum (850 milhões de dólares), Mozambique Assett Management (535 milhões de dólares) e Proindicus (622 milhões de dólares) – contraíram empréstimos de mais de dois mil milhões de dólares, tendo os dois últimos sido negociados à margem da legislação em vigor no país.

O empréstimo relativo à Empresa Moçambicana de Atum já foi reestruturado, em Abril de 2016, com o alargamento do prazo de maturidade e o aumento da taxa de juro de cada cupão mas Moçambique já falhou no pagamento de uma prestação no montante de 59,7 milhões de dólares.

O primeiro-ministro salientou igualmente estarem a decorrer negociações com o Fundo Monetário Internacional (FMI) que se centram, essencialmente, na questão de reformas que devem ser aplicadas tendo em vista a recuperação da economia, bem como a restauração da confiança junto dos parceiros de cooperação.

Num encontro com a imprensa, Carlos Agostinho do Rosário disse haver sinais de recuperação da economia, com os principais indicadores a registarem uma tendência de melhoria, tendo citado, a título de exemplo, a estabilidade da moeda moçambicana, o metical, que entre Outubro e a actualidade passou de 80 para 70 meticais por cada dólar.

O primeiro-ministro salientou que as reservas sobre o exterior têm registado “um aumento considerável”, sendo actualmente suficientes para cobrir cinco meses de importações.

Fonte: Macauhub

DEIXE UMA RESPOSTA